Programa Antídoto Portugal » Notícias » Antídoto na Imprensa
08 de dezembro de 2019
 
 Antídoto na Imprensa
28/09/2004
Confederação Nacional de Caçadores adere ao Programa Antídoto

Plataforma contra uso de venenos
Confederação nacional de caçadores adere ao Programa Antídoto
28-09-2004 - PUBLICO.PT

A Confederação Nacional de Caçadores e o Programa Antídoto Portugal, plataforma de várias associações, assinaram este sábado um acordo que permite a cooperação institucional e técnica para tentar resolver o problema do uso de venenos.

O acordo foi assinado durante a Feira de Caça, Pesca Turismo rural e produtos da Terra de Sousel.

Segundo a plataforma, o Programa Antídoto - Portugal é “constituída por várias entidades públicas e privadas e tem como objectivo delinear e aplicar uma estratégia nacional contra o uso de venenos”. Os primeiros trabalhos tiveram início em Janeiro de 2003 em Arcos de Valdevez, a Estratégia Nacional foi concluída a 21 de Janeiro de 2004 em Lisboa e o Programa foi oficialmente apresentado em Idanha-a-Nova no dia 4 de Março de 2004.

Entre os objectivos da plataforma estão o conhecimento da real dimensão do uso de venenos e o que está na sua origem, bem como analisar o impacte sobre determinadas populações de animais silvestres.

Em Portugal, o maior número de casos de envenenamento detectados estão relacionados com a caça, através do controlo ilegal de predadores feito por algumas zonas de caça.

“A forma irresponsável como é feito, para além de demonstrar um profundo desrespeito pela natureza e pela biodiversidade, espelha bem a ignorância e falta de formação no que respeita à biologia das espécies silvestres”, considera o Programa Antídoto.

A plataforma critica ainda a “falta de fiscalização séria e o fácil acesso a produtos que podem ser usados como veneno”, bem como a “actual permissividade e irresponsabilidade da legislação vigente”.

No comunicado, o Programa Antídoto denuncia também o frequente abandono de cães de caça no final da época venatória. “Estes cães tornam-se predadores das espécies cinegéticas e de animais domésticos, causando tanto ou maior impacte negativo sobre as mesmas do que os predadores silvestres. Por isso, (...) as zonas de caça recorrem ao uso de veneno (...) para controlar estes animais“.

A plataforma considera necessário que os responsáveis máximos pela caça em Portugal tomem “uma posição pública veementemente contrária a esta prática, que seja acompanhada de maior fiscalização e controlo, medidas correctas de gestão da caça e do ordenamento, e um muito maior esforço para a formação e educação ambiental dos caçadores que contribua para o conhecimento e respeito pelos ecossistemas”.

http://ecosfera.publico.pt/noticias2003/noticia3571.asp


Voltar à lista de notícias
webmaster@antidoto-portugal.org

Copyright © 2005 Programa Antídoto-Portugal