Programa Antídoto Portugal » Notícias » Veneno na Imprensa
08 de dezembro de 2019
 
 Veneno na Imprensa
20/05/1999
Animais foram envenenados no Parque Natural do Douro Internacional

Oito raposas e 13 cães encontrados mortos no Parque Natural do Douro Internacional (PNDI), há cerca de dois meses, concretamente em Miranda do Douro, foram envenenados. Este é o resultado das análises do Laboratório Nacional de Veterinária efectuadas aos animais e que vem confirmar as suspeitas de utilização deliberada de um poderoso pesticida, conhecido por "S605 Forte", curiosamente já retirado do mercado o ano passado.

De acordo com fontes daquela área protegida, este caso vem confirmar uma prática nefasta habitual que se estende também à parte sul do Parque, ou seja Figueira de Castelo Rodrigo. Estes envenenamentos, ao que tudo indica relacionados com a caça, atingem toda a cadeia alimentar das aves protegidas, como é o caso dos Abutres do Egipto, o Grifo ou a Águia-real, que assim se tornam susceptíveis ao consumo destes iscos fatais.

Para os autores destes actos, o envenenamento encaixa na actividade cinegética como forma de controlar os predadores, eliminar cães assilvestrados, roedores e outros animais. No caso concreto dos cães, o que acontece muitas vezes é apenas acerto de contas com vizinhos ou coisa do género.

Sejam quais forem as razões, crê-se que esta prática, segundo dados divulgados pelo PNDI, tenha sido a principal causa para o desaparecimento de grandes áreas de aves na região, incluindo Espanha.

Ver notícia







* Colabore com o Programa Antídoto - Portugal, reunindo e enviando-nos todas as notícias e referências ao uso ilegal de venenos para: antidotoportugal@gmail.com

webmaster@antidoto-portugal.org

Copyright © 2005 Programa Antídoto-Portugal