Programa Antídoto Portugal » Casos de Envenenamento » 1992-2003
26 de abril de 2019
 
 1992-2003

Para a recompilação inicial de dados foram contactadas diversas entidades, que contibuiram com muita informação que se encontrava dispersa. Assim, foram reunidas as informações anteriores ao início dos trabalhos (1992-2002) e as que se iam registando durante o ano de 2003, altura em que o grupo de trabalho estava a ser criado e a Estratégia Nacional contra o Uso Ilegal de Venenos estava a ser preparada.

Assim, a análise ao período de 1992-2003 revelou os seguintes dados de mortalidade:


Mortalidade registada:

Nº total de animais mortos 506
Indivíduos de espécies silvestres 163
Indivíduos de espécies domésticas 343
Episódios de envenenamento 129

Tabela 1 - Mortalidade por suspeita de envenenamento durante o período 1992-2003



Britango (Neophron percnopterus) envenenado em Vilar Torpim, Figueira de Castelo Rodrigo em 1994
Foto: Ana Teresa Cândido

 



Espécies silvestres:

 

Espécie Nome comum Nº indivíduos mortos Percentagem (%)
Gyps fulvus Grifo 42 25,7
Vulpes vulpes Raposa 30 18,4
Canis lupus Lobo 24 14,7
Ciconia ciconia Cegonha-Branca 14 8,5
Milvus milvus Milhafre-Real 13 7,9
Aegypius monachus Abutre-Preto 10 6,1
Buteo buteo Águia-de-asa-redonda 8 4,9
Neophron percnopterus Britango 6 3,6
Aquila chrysaetus Águia-Real 3 1,8
Milvus migrans Milhafre-Preto 3 1,8
Genetta genetta Geneta 3 1,8
Herpestes ichneumon Sacarrabos 2 1,2
Martes foina Fuinha 1 0,6
  Outras 4 2,4

Tabela 2 - Mortalidade de espécies silvestres durante o período 1992-2003 (N=163)

Os dados apresentados foram cedidos pelas seguintes entidades:

  • Grupo Lobo - Associação para Conservação do Lobo e do seu Ecossistema
  • Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente
    • Instituto de Conservação da Natureza (ICN)
    • Direcções Regionais de Ambiente e Ordenamento do Território (DRAOT)
  • Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas
    • Direcções Regionais de Agricultura (DRA)
    • Laboratório Nacional de Investigação Veterinária (LNIV)
  • LPN - Liga para a Protecção da Natureza
  • Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza
  • NEPA - Núcleo de Estudo e Protecção do Ambiente (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro)
  • CEAI - Centro de Estudos da Avifauna Ibérica, Évora.
  • Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
  • Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa
  • Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
  • Federação de Caçadores de Entre Douro e Minho
  • Particulares



Grifo (Gyps fulvus) envenenado em Idanha-a-Nova (Castelo Branco), 8 de Novembro de 2003

Foto: Samuel Infante


Nota
:

As tabelas apresentadas incluem todos os casos de envenenamento confirmado, bem como aqueles cujas referências e características levantaram grandes suspeitas de envenenamento.

webmaster@antidoto-portugal.org

Copyright © 2005 Programa Antídoto-Portugal