Programa Antídoto Portugal » Tóxicos e Fauna » Herbicidas
26 de abril de 2019
 
 Herbicidas

A utilização de Herbicidas é uma séria ameaça à Biodiversidade devido aos seus efeitos sobre os habitats e sobre os vários grupos de espécies de fauna que neles vivem. Para além disso, a sua utilização acarreta riscos para a Saúde Pública a diferentes níveis: para quem os aplica, para quem vive em locais o­nde são utilizados e para quem consome alimentos produzidos com recurso ao uso destes produtos.

Existe uma enorme quantidade de herbicidas à venda no mercado português, distribuidos por vários grupos com diferentes efeitos. No entanto, como exemplo de um produto altamente tóxico, que se destaca pela elevada mortalidade de fauna e pessoas que provoca, e que é comercializado e aplicado sem qualquer tipo de controlo sério e eficaz, consideremos o Paraquato.

Este tóxico pertence ao grupo dos bipiridilos e as suas propriedades herbicidas são conhecidas desde os anos 50, mas só começou a ser comercializado na década seguinte. Actualmente é um dos herbicidas mais utilizados a nível mundial e apesar do seu potencial cancerígeno, mutagénico, e da sua elevadíssima toxicidade, é vendido em cerca de 130 países, principalmente nos que se encontram em vias de desenvolvimento. No entanto, alguns países já restringiram a sua comercialização devido à elevada toxicidade (Ex: Finlândia, Suécia e Áustria) e elevada frequência de envenenamentos que provoca (Ex: Áustria e Hungria). Noutros países, como a Alemanha e os EUA, a sua comercialização está restringida e apenas os profissionais certificados podem proceder à sua aplicação.

Em Portugal, o Paraquato é responsável por muitos casos de envenenamento de pessoas (utilizado em suicídios e homicídios) e animais. Este tóxico encontra-se à venda em qualquer drograria ou cooperativa agrícola em várias regiões do país.

Embalagens de Paraquato à venda em Portugal
Foto: Richard Touret

 

Apesar de várias tentativas das empresas que produzem este produto para reduzir a sua toxicidade ou para diminuir a probabilidade de intoxicação acidental, o que é certo é que se encontra à venda sem qualquer tipo de controlo, um produto cuja classificação referida na embalagem é de “Muito Tóxico” e que constitui um problema de Saúde Pública muito grave. O seu verdadeiro impacte sobre a fauna portuguesa é totalmente desconhecido.


Toxicologia Clínica:
- Envenenamento com Herbicidas -

Artigos recomendados:
- Serra A, Domingos F, Prata NM. 2003. Intoxicação por Paraquat in Acta Medica Portuguesa 16:25-32.
- Suntres ZE. 2002. Role of Antioxidants in Paraquat Toxicity in Toxicology 180, pp66-77.

- Pinheiro I. 2002. Intoxicação por Paraquat - revisão bibliográfica

webmaster@antidoto-portugal.org

Copyright © 2005 Programa Antídoto-Portugal